SULLY SIENA

Sully chegou alguns minutos atrasada na oficina, já tendo avisado que isso aconteceria. Seus filhinhos pequenos, apareciam e desapareciam na tela do computador. Sons e vozes e pedidos e urgências também a acompanharam. Um esforço enorme de concentração para desenvolver uma atividade que supostamente exigiria introspecção. A vida e seus atravessamentos na arte não foram cortados do processo de criação por que passamos na oficina. Deixamos ela entrar, interferir, dar novos rumos ao traçado. Não desliguei o som, nem ela se trancou num quarto sozinha.

O primeiro objeto que Sully desenhou foram os botões do controle remoto da televisão. Formas circulares. Com a repetição do desenhar dessas formas em diferentes partes do corpo, a concentração foi nascendo e os movimentos ficaram leves e constantes. O último desenho, em que eu peço para as participantes desenharem o “trajeto” que repetiram várias vezes em diferentes partes do corpo, manteve as formas circulares do início, com uma tonalidade diversa. A maior parte dos círculos era fechada, entretanto alguns tendiam para a espiral.

Ao falar da escolha da “família” para sintetizar a vivência que teve na oficina, Sully emocionada disse que os botões do controle remoto acabaram por se transformar em círculos repetitivos em que ela vê o seu dia-a-dia de mãe, profissional, esposa e todas as funções sociais e afetivas que mulheres exercem. Até a escolha do controle remoto, com botões redondos, perfeitamente fechados, a meu ver indica um foco na palavra “controle”.

Uma necessidade para manter todas essas responsabilidades equilibradas. Ela disse também que 40 minutos prestando atenção nela mesma, como fez na oficina, foram importantes para ela entender a situação que estava vivendo agora, durante a pandemia. Essa realidade protegida, que nos impõe estar fechados nos círculos domésticos e familiares escorreu de suas escolhas estéticas. Alguns círculos se racharam. Não se fecharam. Possibilidades de reciclar padrões; de finais abertos.

sully siena crop final.jpg

Sully Siena, “Família”. Grafite sobre papel sulfite. Improvisação de desenho realizada na oficina de corpo e arte, www.mulheresemetamroses.org , realizada no dia 01 de julho de 2021.